Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



domingo, 24 de janeiro de 2010

O Banho do Felipe

























Felipe ganhou de aniversário das avós uma cadeirinha super bacana para tomar banho. Na verdade, eu escolhi para elas darem, já que sempre ficam sem saber exatamente o que dar. Foi a melhor coisa dos últimos tempos, porque Felipe está ficando pesado, e tá ficando difícil segurá-lo no colo para dar banho.

Vou explicar. Até uns 2 anos de idade, Felipe ainda tomava banho naquela banheira de bebê comum, que quase todo mundo tem, que tem aquela base que apoia. Com isso, o banho era sempre no quarto dele, enchíamos a banheira com água e tudo seguia normalmente como um banho de um bebê como outro qualquer, a não ser pelo oxigênio conectado à traqueostomia, que sempre temos que tomar cuidado para não molhar, com o risco de entrar água pela traqueostomia e ir para o pulmão e ele broncoaspirar. Ele ficando pesado, ficamos preocupados em usar aquela banheirinha, que quase quebrou um dia com ele dentro. Elas não são feitas para aguentar muito peso. Então fiquei procurando opções para substitui-la e as fisioterapeutas do Felipe nos indicaram um lugar em Vila Isabel que faz adaptações para deficientes. Chama-se LM Criações. Procurei no site deles (http://www.lmrio.com.br/) e achei uma banheira muito bacana, imensa, feita de fibra, chamada "Banheira da Duda" e encomendamos. Ela é caríssima, como tudo que diz respeito à deficientes. Mas compramos mesmo assim, mas ficou no uso por pouco tempo. Ela é maravilhosa, mas muito grande e pesada, não cabe aberta no box do nosso banheiro. Ela seria perfeita se tivéssemos espaço para deixá-la permanentemente aberta. Então tínhamos que montá-la no quarto dele toda vez que ia tomar banho, e fizemos uma adaptação de um chuveirinho que ia do nosso chuveiro até o quarto dele. Mas logo ela quebrou na base e tivemos que levar para consertar. Com isso, nao tinha como dar banho nele, e improvisamos um jeito dentro do próprio box, onde uma pessoa o segurava no colo, sentada num banquinho, enquanto outra dava o banho com o chuveirinho. Era gostoso, mas a pessoa que estava com ele no colo acabava sempre tomando banho junto ! Foi quando me lembrei de um outro produto que vi no site da LM Criações, que foi o que escolhi para ele ganhar de presente das avós. Chama-se "Banheira para PC", e é própria para crianças com paralisia cerebral. É uma banheira em forma de concha, tipo uma cadeirinha. Ficou perfeito ! Ela fica montada o tempo todo dentro do box, ele fica sentadinho, super bem posicionado, e fica só uma pessoa dando banho nele, com o chuveirinho. Dá vontade de ficar horas dando banho nele....

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Referência ao blog

Há mais de 2 anos o Leo entrou com um processo para liberação do seu FGTS para ajudar nas despesas com o Felipe e sua estrutura. O saque é permitido por lei (Lei 8.036/90) para portadores de AIDS e doenças graves. Só que no nosso caso, temos que nos sujeitar à morosidade do sistema judiciário e à intransigência da Caixa Econômica Federal, que não interpretam o problema do Felipe como grave. Como a jurisprudência é favorável, temos ganhado em todas as instâncias, mas a CEF vem recorrendo sucessivamente, impedindo a liberação do saque. O resultado é que no momento o processo está parado há meses no gabinete de um ministro do STJ, sem perspectiva de definição.

O motivo de eu estar falando sobre isso é que um dia desses, ao ler uma reportagem no O Globo online falando sobre um caso de um homem que entrou com uma ação por danos morais contra o amante da sua mulher e acabou levando uma bronca do juiz, o Leo escreveu um comentário no site. Mostrou sua revolta ao ver a justiça julgando rapidamente um caso de "adultério", e o mesmo virando notícia no jornal de maior circulação do país, enquanto temos processos muito mais sérios e urgentes completamente parados nas mãos da justiça sem que ninguém tome conhecimento. No seu comentário, o Leo informou o link para o nosso blog. Outro dia, vimos um comentário bacana em outro blog (http://simonearruda.blogspot.com/2009/10/historias-de-amor.html) falando do nosso. Segue o comentário da Simone Arruda (dona do blog):

"Hoje, quando lia a versão digital de “O Globo”, me deparei com uma matéria que me chamou a atenção: um homem que entrou com uma ação por danos morais contra o amante da sua mulher e acabou levando uma bronca do juiz (ver em
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/10/15/marido-traido-leva-puxao-de-orelha-de-juiz-768079203.asp). Como de costume, li alguns dos comentários dos leitores. Confesso que não recomendo esta prática, pois, muitas vezes, o espaço acaba sendo preenchido com uma série de opiniões tão absurdas que chamá-las absurdas é puro eufemismo. Mas não é sobre isso que quero falar. No meio de tantas opiniões diversas, um desabafo me chamou a atenção: as palavras de um pai que luta na justiça para conseguir sacar o FGTS a fim de utilizá-lo no tratamento do seu filho, vítima de erro médico. No comentário do Sr. Leonardo havia o endereço de um blog. Curiosa, fui conferir a história do casal Valéria e Leonardo, pais do pequeno Felipe. O que li naquele blog, mexeu comigo. Mostrou-me que ainda é possível acreditar no amor. Atualmente, a palavra amor acabou ganhando uma conotação erótica, o que fez com que muitas pessoas perdessem a referência do que é amar – e do que é ser amado.O amor que une essa família é o que há de mais precioso no mundo, é o que os torna capazes de superar qualquer dificuldade.Essa leitura eu recomendo: http://www.valeriapellon.blogspot.com/ "

Achei muito bacana ver alguém que nem nos conhece falando da nossa história de forma tão sensível. Fiquei emocionada.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Aniversário do Felipe

11 de janeiro de 2010. Felipe faz 3 anos. Há 3 anos nossa alegria se tornou tristeza, nossas vidas passaram por um verdadeiro furacão. E há 3 anos eu fico pensando no que fazer neste dia do aniversário do meu anjinho. Por mais que meu coração sinta tristeza, eu não posso me sentar ao lado dele e chorar. Mas também não faz sentido comemorar...imagino o Felipe me dizendo “poxa vida mãe, olha a minha vida, olha o meu sofrimento, vocês estão comemorando o quê, enquanto eu tô aqui nessa vida horrível?”. Por outro lado, eu penso na luta dele desde que veio ao mundo. Quanto sofrimento ele passou, quanta dor, quantas picadas na veia, quantas sensações ruins ! Aí eu penso em quanto o Felipe merece um PARABÉNS. Não pelo seu anivesário, não pela data querida, não pelas felicidades nem pelos muitos anos de vida, mas sim pela força que ele tem. Se ele está aqui hoje é porque ele é um guerreiro, forte, muito forte. E se ele está aqui hoje, ele ainda tem muito o que nos ensinar, ele ainda precisa estar entre nós por algum motivo, não sei muito bem qual ... Mas ele merece sim que esse dia seja especial. É um dia em que os amigos querem estar junto, fazem questão de dar um telefonema, de dar um beijinho pessoalmente nele. Ele é um menino muito amado, muito querido, e eu tenho TANTO orgulho dele. Eu sempre digo que nem nos meus sonhos mais lindos eu imaginava ter um filho tão lindo, e nem nos meus pesadelos mais horríveis eu imaginava o que poderia acontecer com ele.
Ao meu filho lindo, razão do meu viver: parabéns pela sua força, pela sua garra e por tudo o que você tem nos ensinado.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Fim de ano

Fiquei um tempo sem escrever. O mês de dezembro foi muito corrido em termos de trabalho, e eu confesso que é uma época que eu gostaria de "pular". Natal e Ano Novo hoje em dia pra mim são motivos de tristeza, nostalgia. Esse ano mais ainda, porque foi o primeiro sem a presença do meu pai, que nos deixou em julho.

Na minha família estavam quase todos querendo ficar "quietos", em casa, sem fazer nada. Mas na última hora acabei fazendo a ceia em casa e alguns vieram pra cá. Passou rápido, ainda bem. Ano Novo também. E com a virada do ano, logo vem o aniversário do Felipe. Dia 11 de janeiro ele vai fazer 3 anos...

O ano que passou foi mais um ano complicado. A perda do meu pai, a mudança de trabalho, foi muito estresse e acho que eu me deixei um pouco de lado. No sentido de me cuidar, cuidar da minha saúde. Leo e eu sempre fomos muito ligados à vida saudável, alimentação saudável, exercícios, sol, e isso tudo foi ficando de lado. Hoje eu consigo ser quase mais branca que o Felipe, engordei e tudo isso vai incomodando...Então decidimos, Leo e eu, tentar melhorar um pouco esse lado. No dia 26 de dezembro nos matriculamos na academia. E lá também podemos usar como clube, pegar um sol na piscina. E este já foi o segundo final de semana que fizemos isso. Peguei um sol ! Continuo branca, mas pelo menos eu vi a "cor do sol"... O duro disso é o sentimento de sempre: fazermos uma vida sem o Felipe. É muito ruim sair para o clube e deixá-lo em casa. É difícil ficar olhando várias famílias com seus filhos curtindo um final de semana na piscina, enquanto nosso filho está na cama...sem que nada aconteça. Mas enfim, uma vez nossa psicóloga nos falou que nós não podíamos viver a vida do Felipe e isso foi muito duro. É muito difícil você enfrentar uma situação dessas e ir viver sua vida sem seu filho. Claro que eu vivo a vida dele ! Ele é meu filho ! Mas eu entendo que não posso viver as mesmas limitações que ele. Sei que ele precisa da gente saudável, forte, para estarmos bem ao lado dele. Na teoria, é fácil. Mas na prática...curtir um final de semana fora, ir para o clube, nada disso é igual sem ele. Dá muita dor no coração, mas precisamos continuar vivendo....Essa parece ser nossa meta para 2010.

Esse blog foi uma das coisas boas de 2009. Acho que está sendo muito bacana, os retornos que as pessoas nos dão são muito legais, outros nem tanto, mas não podemos agradar todo mundo né ? Estamos aqui para contar nossa história, nossa vida junto ao Felipe. Obrigada pelo apoio de todos que estão ao nosso lado e um Feliz Ano Novo !