Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Tocando em Frente

Composição: Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe,
Eu só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder seguir
É preciso chuva para florir

Sinto que seguir a vida
Seja simplesmente
Conhecer a marcha
E ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou

Cada um de nós compõe
A sua própria história
E cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora

sábado, 21 de agosto de 2010

Quanto amor

Tem dias, como hoje, que olho o Felipe todo arrumadinho e cheiroso, depois do banho, com um rostinho tão sereno, rosto de anjinho dormindo, que meu coração parece que vai explodir de tanto amor. Acho que não caberia em mim sentimento diferente desse em relação ao Felipe, eu sinto uma coisa física, parece que enche meu peito de uma coisa que vai fazer explodir, eu tenho vontade de abraçar tanto ele, e colocá-lo de volta dentro da minha barriga, onde eu poderia cuidar dele sem que ninguém fizesse mal a ele...É muito difícil sentir isso tudo sem vir junto o medo do que ainda temos pela frente. Vivemos sim cada dia, sem planos, sem nada, mas como é difícil...

domingo, 8 de agosto de 2010

Papai



Hoje é o seu dia, papai. Como todos os dias, você me deu aquele "bom-dia" espetado, de barba por fazer de fim-de-semana, que mamãe briga porque me deixa todo "empelotado", mas que me deixa suspirando de tanta paixão. Conheço o seu cheiro de papai, sua pele de papai, sua presença de papai, sua lambida de papai...é...porque você também tem essa mania estranha de lamber meu rosto que nem cachorrinho, é estranho...mas o mais estranho é que eu adoro ! Eu sei que você é o meu papai e como eu gosto de saber isso !

Você é aquele cara que aprendeu absolutamente tudo desses aparelhinhos que eu uso para respirar e tudo o mais, e não deixa que nada de ruim aconteça com eles, para nada acontecer comigo. Você aprendeu tudo e hoje ensina para todo mundo, as pessoas que não te conhecem até perguntam se você é médico...E eu fico todo bobo porque você sempre responde: "não, eu sou PAI DO FELIPE !". É legal isso ! É você que me dá a segurança de que tudo vai funcionar bem até mesmo quando acaba a luz e a mamãe fica nervosa. Lembra no apagão, que a mamãe tava viajando ? Ela nem enlouqueceu tanto porque sabia que você estava do meu lado o tempo todo.

Ah ! É você também que traz meu último leitinho toda noite, sempre seguido de uns beijos muito ásperos mas muito aconchegantes. E também nos fins de semana deita comigo na minha cama e dorme de roncar ! Papai, lembrei também daquele dia que você chegou de viagem e meu coração acelerou tanto que chegou a disparar o alarme do monitor cardíaco. Ficou todo mundo assustado. Mas é isso, papai...eu não sei de muita coisa não, mas o que eu sinto quando você está por perto me faz te garantir que você é o melhor pai que eu poderia ter. E tenho certeza que o Lucas também sente o mesmo.

Te amo papai, você é o MELHOR PAI DO MUNDO.

Felipe