Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



segunda-feira, 11 de outubro de 2010

1 Ano de Blog

Amanhã o blog faz 1 ano.

Lembro direitinho que foi no Dia das Crianças do ano passado, mais um daqueles dias em que dá uma angústia danada ver o Felipe e pensar em tudo o que ele poderia estar fazendo agora, se as escolhas tivessem sido outras, se meu parto tivesse sido antes do da outra paciente, se eu tivesse escolhido outra médica, se ela tivesse visto o coraçãozinho dele parando e feito alguma coisa, se tivesse feito cesariana, se tivesse puxado a fórceps, se eu tivesse desde o início optado por cesariana, se... se... se...enfim, são milhões de "se" que não levam a lugar nenhum, somente a esta angústia de ver a vida que nosso menino leva. É o menino mais lindo e mais amado desse mundo, mas é muito triste viver isso tudo, muito triste esta sensação de "saudade do futuro" que temos o tempo todo, imaginando o que era para ser o futuro dele há quatro anos atrás, quando eu ainda estava grávida e era a pessoa mais feliz deste mundo.

Então foi num dia desses, não coincidentemente, Dia das Crianças, que meu peito estava cheio de tanta angúsita e revolta com tudo e com a justiça que simplesmente não anda, nada acontece com ninguém, enquanto nós sofremos sozinhos esta luta, que resolvi fazer o blog.

A coisa veio de repente, falei com o Leo e, graças a ele, em poucos minutos o blog "nasceu".
1 ano depois, posso dizer que foi uma das melhores coisas que fiz nesses últimos tempos. Pudemos dividir muita coisa, elucidar muita coisa, e nos aproximar de muita gente que queria chegar perto mas tinha receio, amigos que queriam saber notícias do Felipe mas não queriam ligar por não ter o que dizer, por achar que estavam incomodando, e por vários outros motivos. Com o Facebook agora, mais gente ainda ficou conhecendo o blog (eu atualizo no Facebook toda vez que faço uma nova postagem), e pessoas conhecidas do passado que nem sequer sabiam da nossa história. E amigos dos amigos, e por aí vai. Pelo blog, fiz novas amizades que mantenho com pessoas que nem conheço pessoalmente, de vários lugares do Brasil, gente que passa por lutas semelhantes ou simplesmente se aproximou por nada, por compaixão, por querer estar junto sem nem nos conhecer...enfim, o saldo é 100% positivo. Tenho certeza que não agradamos todo mundo, mas o espírito não é esse. Temos uma história a contar e a dividir, agradar ou não vai do coração de quem entra aqui nesse espaço e da empatia com a gente. Hoje acho bacana sentir que tem pessoas que estão SEMPRE aqui, sempre presentes em nossas vidas, torcendo com a gente, rezando para os que rezam, orando para os que oram, chorando para os que choram, até mesmo rindo, e por aí vai...

Hoje, apesar de muito difícil, é um pouco mais fácil que um ano atrás passar pelo Dia das Crianças, escolher um presente para ele, longe das lojas de brinquedos cheias de crianças alegres. Compramos roupinhas lindas e confortáveis e almofadinhas FOM do Homem-Aranha e outra para apoiar as costinhas dele. Cada dia é um aprendizado, uma estrada a mais que vamos percorrendo e nos acostumando com o caminho.

Nesse 1 ano, Felipe cresceu bastante, passou por umas e outras, mas só tem também a agradecer por todo o carinho e toda essa corrente do bem, de sete mil e tantos acessos, que se fez mais ainda em volta dele.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Notícias

Tem muito tempo que não escrevo...nem tinha noção, mas tem mais de um mês. E o gostoso disso é ver que as pessoas sentem falta, estão me mandando emails perguntando se está tudo bem...legal, fico contente com essa aproximação que o blog trouxe com muita gente.

Felipe está bem, numa fase bem demais. Nenhuma intercorrência grave. Para a gente, hoje, isso é bom. Me dá paz ver meu anjinho em paz. Ainda mais depois das horrorosas queimaduras, que demoraram muito a sarar, e fizeram com que ele ficasse deitadinho para o mesmo lado por quase 3 meses seguidos. E nem assim pegou nenhuma infecção pulmonar. Nosso príncipe é um "tourinho", impressionante como é saudável. Vimos num raio X que o lado do pulmão que ficava para baixo estava um pouco pior que o outro, mas só isso...Ficaram marcas no corpinho dele, mas diante do que foi, é o de menos.

Estamos precisando fazer alguns exames de sangue de rotina, para controle, mas eu até conversei com a pediatra do home-care, a Dra Marcia, que eu olho todo dia aqueles pedidos de exame, minha agenda me lembra que tenho que marcar os exames, mas eu só consigo adiar...É tão sofrido tirar sangue do Felipe, ninguém do laboratório consegue e o Dr João ou Dra Marcia é que acabam tirando. Tem que ser arterial, o que dói mais ainda do que o normal, eu já senti isso na pele e por isso sofro só de pensar nele passando por isso. Eu penso nisso e me dá aquele aperto no peito de sentir a dor que ele vai sentir...tadinho, tá tão tranquilinho. Então resolvi com ela deixar passar um pouco.

O que tem incomodado um pouco são os olhos do Felipe. Como ele fica com o olho entreaberto e não pisca, por mais que a gente passe colírio não dá conta. Em época de tempo seco, os olhos ficam muito feios, inflamados, bem vermelhos. Uma solução que a oftamologista deu há muito tempo atrás foi fazer uma câmera úmida com óculos de natação. Isso mesmo, tadinho, ele fica lá todo gostoso de óculos de natação...mas também incomoda, então fico sem saber como resolver... Outro dia vi o início de um filme chamado "O Escafandro e a Borboleta", de um homem que sofre um acidente e entra em coma, e toda a agonia dele percebendo tudo que estava acontecendo mas sem conseguir esboçar nenhuma reação. Aí o médico chegou e começou a costurar os olhos dele para fechá-los e evitar inflamações, e mostra o nervoso dele, que enxergava, tendo seus olhos costurados...Que agonia ! Nesse momento eu parei de assitir o filme, não aguentei...Mas tudo eu fico pensando no Felipe. A oftamologista chegou a sugerir isso, nossa, que horror! Espero nunca precisar. Enquanto isso, vamos seguindo de óculos de natação. Se alguém tiver alguma ideia, se já ouviu falar alguma coisa que resolva nesse caso, eu gostaria de saber.

Mais uma novidade é que o Felipe está fazendo dieta... ! Temos muita preocupação com o peso dele, pois como não gasta muita caloria, a tendência é de engordar, então a alimentação tem que ser muito controlada para não causar problemas respiratórios e também para a locomoção dele. Ele estava se alimentando somente com um preparado chamado Nutrini, mas agora a nutricionista resolveu voltar com algumas etapas de dieta artesanal, como sopinha e suco. Ele já emagreceu um pouco desde que começou e está crescendo. Tudo perfeitinho...responde a tudo, aceita tudo, nunca vi criança tão saudável (espero que vocês me entendam...), e ainda queriam inventar doença metabólica para ele...