Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Felipe, minha vida


Hoje é um dia especialmente estranho. Você estaria completando 4 aninhos. Seria um dia estranho também se você estivesse aqui, a gente estaria triste imaginando o que você estaria fazendo se nada tivesse acontecido com você...Mas as tias iriam fazer bagunça com você, as vovós iriam aparecer pra te dar muitos beijos, os amigos iriam ligar aos poucos, e no final do dia nossa casa iria estar cheia de gente que queria só te dar um beijinho (e na mamãe e no papai também...). Você ia ganhar um monte de presente legal, roupinhas lindas, almofadinhas FOM, bichos malucos, enfim...da tristeza, mamãe iria se ver às voltas comprando de última hora alguma coisa para servir para seus tantos amigos que iriam encher nossa casa de energia boa. Você ia ficar lá, todo gostoso, só recebendo mil beijos e apertões, ia ficar um pouquinho na sala, mas depois mamãe iria querer deixar você quietinho no seu lugar preferido, sua cama deliciosa ! E no final das contas, o dia iria ser um pouco mais leve graças a tantos amigos legais que você tem.

Hoje você não está aqui, mamãe e papai estão meio perdidos, mas eu queria só te mandar coisas boas hoje. Meu principal presente para você será tentar passar este dia sem tanta tristeza. E queria também te dar um outro presente que ilustra isso, que na verdade foi um presente que a mamãe ganhou dias depois que você partiu. Essa ilustração aí em cima...Ela foi feita pela Sandra Ronca, que é prima da tia Marcia. Ela também tem um anjinho no céu, que perdeu de uma forma muito ruim. O anjinho dela se chama Hugo, e ele estava jogando futebol no Clube Federal, no Alto Leblon, quando levou uma bala perdia. Isso foi no mesmo ano que você nasceu, em 2007. Essa história saiu em todos os jornais, e mamãe sofreu cada minuto da angústia dela, só que de longe, sabendo notícias pela tia Marcia. Mamãe até escreveu uma cartinha pra ela na época. Enfim, ela é ilustradora de livros infantis, e tem um trabalho maravilhoso (www.sandraronca.com.br). Mas pra mim, este é o mais lindo de todos, pois conseguiu da forma mais perfeita e sutil, ilustrar o seu sentimento de mãe deixando o coração partido voar...seguir...Então esse, filho, é meu presente pra você hoje. Queria te mostrar como está meu coração, e como vou deixá-lo livre para você poder ficar em paz. Mas preste atenção em cada detalhe, nos bichinhos, no coração machucadinho...Te amo, filho, e você estará para sempre no meu coração.

Da sua mamãe

15 comentários:

  1. Valéria, que lindo! Fico muito emocionada ao ler cada postagem sua. Que amor infinito e que bom que é eterno! O Felipe é um privilegiado pela mãe que tem ! Ele está lá em cima, olhando, sorrindo, aplaudindo e enviando a você muitas borboletas amarelas!
    Um beijo carinhoso e quando quiser,conte comigo!
    Mariza
    http://cantinhodoreiarthur.blogspot.com
    mariza_araujo7@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Quando entrei no blog pela 1ª vez, me chamou atenção a data de 11 de novembro. tão triste pra você e tão cheia de significados pra mim. 11 de novembro era o dia previsto para o Antonio nascer, se ele não tivesse adiantado as coisas e vindo ao mundo dia 09, aos trancos e barrancos. além disso, dia 11 de novembro é o aniversário de dois primos (irmãos!) muito queridos na minha família. eles nasceram no mesmo dia e não são gêmeos! há 5 anos de diferença. quando a data do Antonio caiu no dia 11 tb foi uma farra lá em casa. era o dia dos bebês... enfim, hoje me deparo com esse 11 de janeiro. q olha só! mais uma vez, tem paralelo aqui pra mim. é hoje tb q meu afilhado querido, Arthur, sopra velinhas de... adivinha só? 4 anos. lembro bem tb da história do Hugo...
    bom, disse, disse e não disse nada. não tenho muito a dizer mesmo, porque se pra mim, q conheço vcs há tão pouco tempo, ainda é dolorido, imagina pra vc... mas o q posso te dizer é q hj daqui a pouco quando estaremos eu e Antonio cantando parabéns pro Tutu, vamos fazer um 'e o Felipe tudo ou nada?! Tudo!'. Tudo de bom. pra vc. e pro Felipe. amarelo da cor do sol.

    ResponderExcluir
  3. Que saudade Homem-Aranha! Saudade dos apertões, dos beijinhos na bochecha mais gostosa desse mundo, do seu cheirinho... Nos outros anos, você ficava muito cheiroso nesse dia (mais que o normal)! Todo se querendo, esperando os mil abraços e beijos, como a mamãe disse. E que engraçado: hoje de manhã quem me abraçou foi você, não é seu danadinho! Acho que você está com saudade da almofadinha do Santo Anjo que dorme comigo todos os dias e veio aqui pra curtir ela um pouquinho! rs. Pode vir quando quiser! Chulispe meu anjo, a Sua Tia Nanda deseja que você continue sendo guerreiro e vitorioso, que esteja muito feliz e brincando muito naquela graminha verdinha e rindo junto com o vovô. Apesar de ser um dia difícil, penso em você em todos os minutos e só quero dizer: Parabéns Homem-Aranha! Eu te amo!

    ResponderExcluir
  4. Valéria,
    Eu vou me concentrar hoje à noite e mandar boas vibrações para vocês e para o Felipe...
    Continuo acompanhando seu blog, torcendo por vc e tendo notícias eventuais pela Carmen, que fala em todos com muito amor.
    A história do Felipe, de vcs e de sua vidinha, é uma HISTÓRIA DE AMOR !
    beijos e tudo de bom!
    Juliana.

    ResponderExcluir
  5. Valéria,
    Foi muito bom estar com vc no domingo, depois de tanto tempo. Um verdadeiro presente poder ver e sentir de perto a atmosfera de amor que o Felipe deixou aí. Sim, porque o seu Anjo deixou um rastro de amor que ninguém neste mundo pode explicar. Que passagem especial que o seu fofo teve por aqui! Ele com certeza está agora descansando nos "braços" do Pai. Não sente dor nem incômodo algum. Só alegria e paz!Que você e Leo tenham também muita paz em seus corações. Beijo carinhoso. Adriana Gouvêa.

    ResponderExcluir
  6. Valeria,
    Vc não me conhece, sou amigo da Lucia Pereira. Trabalhei anos com ela. E hj. a Noite em seu Facebook vi a imagem do coração e borboletas e resolvi entrar em seu blog. Fiquei um bom tempo lendo e conhecendo a sua historia. Historia de vida e amor infinito. Sendo muito sincero, me emocionei e chorei. Tenha certeza de que o cara lah em cima tem uma razão especial p vc e seu marido viverem essa experiência. Talvez com o tempo vcs entendam e decifrem a razão por terem que passar por isso. Contudo o blog que vc fez mostra para quem tem os seus filhos o exemplo de mãe e amor que devem ser doados diariamente a eles. E eu te agradeço por ter feito esse blog, pois a partir de hj qdo olhar p a minha pequena Luisa-uma linda princesa de dois anos- o meu amor por ela serah ainda mais intenso, se eh q isso eh possível. Agradeço a vc, pois tenho certeza de que a partir de hj, cada choro, cada sorriso, cada beijo,etc etc da Luisa serah visto por mim de uma forma diferente e meu coração transbordarah ainda mais de felicidade por te-lá comigo.
    Vc e sua familia hj Jah fazm parte das minhas orações diárias, onde tenho certeza de que com o tempo Deus trarah todo o conforto p vcs.
    Não restrinja o Felipe apenas as borboletas amarelas. Ele estah ao seu redor. Estah no mar, estah nas pessoas que a amam, estah na brisa do mar, na gota de chuva...o amor qdo verdadeiro eh eterno e com certeza o Felipe sabe a mãe que teve e treah p sempre.
    Fernando Kunzel

    ResponderExcluir
  7. Oi, Valéria, fiquei muito feliz pelo seu recadinho no blog do Reizinho.
    ... Eu acho que mães de filhos especiais têm muita coisa em comum, além da dor, têm um amor incondicional, quase que sobrenatural.E quando ficamos sabendo de alguém que vive uma história difícil como a nossa, dá vontade de abraçar forte a pessoa, de dizer que estamos aqui pra ajudar, pra fazer qualquer coisa q amenize a dor e o sofrimento. Desde q acessei o seu blog pela 1ª vez, é exatamente isso q sinto, uma vontade enorme de te dar um abraço bem apertado, a ponto de te fazer sentir q a tua dor é a minha dor.
    Eu e o Vini estamos aqui pra qualquer coisa. Uma palavra, uma oração, um desabafo. Fique bem, fique c/ Deus!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Lindo, lindo Valéria.

    Muita paz para vocês.

    Bjs meus e da Sofia.

    OBS: Me embananei e excluí a mensagem acima. Desculpe.

    ResponderExcluir
  10. Lindo demais, Valéria. Me emocionei...

    Um BjO e um abração beeem apertado em vocês.

    ResponderExcluir
  11. Como sempre muito lindo e de uma sensibilidade fantástica tudo o que vc escreve.felipão borboleta amarela deve estar muito orgulhoso de vcs.bj grande tia Gi

    ResponderExcluir
  12. Oi Valéria,quanto amor e paz nas palavras isso mostra que vc é uma pessoa de muita luz,que Deus continue presente em sua vida e jamis esqueceremos esse anjo lindo Felipe!!!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Valéria, obrigada pela delicadeza e à Marcia por repartir com você esse sentimento transportado para o papel.
    Realmente o melhor presente que você pode dar a Felipe é a liberdade, o voo, a esperança, a leveza, a tua alegria. A de vocês.
    Sejam felizes. Felipe olha por vocês. Ele será a tua Força no viver. Se vocês permitirem.

    Beijos no coração e PAZ! Seja Feliz de verdade!

    ResponderExcluir
  14. Tia, parece que hoje eu tirei o dia para lembrar do Felipe.. escrevi isso, não sei se vai gostar, mas é o que a inspiração do momento quis dizer...

    Eu ouvi falar, que existe uma vida dentro de nós que é chama,
    E queima sempre que deixamos alguém que amamos voar para longe
    Eu ouvi falar, e foi um anjinho, que por pouco tempo,
    Muito pouco tempo esteve perto de mim
    Mas me tocou no momento em que meu coração queimou
    e me disse que iria voar para bem longe, mas que iria voltar
    com um sorriso que só as mães reconhecem
    um sorriso que é um mistério para o mundo
    que um dia soube seu nome
    eu não sabia que precisava de tempo para sentir a dimensão do que as coisas realmente são
    mas agora que ele voou para longe,
    cada tempo que passa, torna a dimensão da chama maior
    ela se mistura com lágrimas, lamentos, e perguntas que não tem respostas
    mas eu lembro o que o anjo me disse
    que ele iria voltar, de um lugar não tão distante de nosso amor
    e que quando o víssemos ele iria sorrir
    um sorriso que poucas mães reconhecem.

    ResponderExcluir