Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Exames

Nas últimas duas semanas passamos por uma certa tensão porque, depois dos médicos e fisioterapeutas estarem achando a respiração do Felipe um pouco pior do que o normal, fizemos uns exames que deram resultados ruins, mostrando que ele estava retendo muito CO2 devido à sua respiração muito superficial. Com isso, ele estava fazendo uma narcose por CO2, como se estivesse sedado, "envenenado" pelo gás carbônico. Dr João nos explicou que há um comprometimento do sistema nervoso central, podendo afetar inclusive os outros órgãos, que poderiam começar a funcionar mal ou até parar de funcionar. A solução foi deixá-lo respirar sozinho o mínimo de tempo possível, já que ele não puxa nem solta o ar com pressão suficiente. Passamos a deixá-lo o tempo todo no respirador, parando somente durante as refeições e para o banho. Com isso, ele tem menos mobilidade dentro de casa, mas não tem jeito...
Refizemos o exame uma semana depois e melhorou bastante, só que agora concluímos que ele é mais dependente do respirador do que imaginávamos. Temos que monitorar isso mais de perto a partir de agora.
Fora isso, ele também apresentou uma leve anemia e já entramos com reposição de ferro, o Noripurum.
Quando essas coisas acontecem, me tiram da aparente "normalidade" da rotina do Felipe, eu fico meio transtornada, pensando muito no que vai acontecer com ele, no que pode acontecer com ele. É muito assustador. Não faço a menor ideia e sinceramente prefiro não fazer mesmo. Pensando demais, a gente sofre mais. Mas é tão difícil não pensar...

Um comentário:

  1. Valéria é muito difícil não pensar e não temer.Quando voce começar a pensar demais, cante, reze, procure ocupar a cabeça,do contrário a bola de neve do pensamento só aumenta e vc sabe que volume de pensamento ruim aumenta muito mais rápido que pensamento bom.Um bj grandão pro Felipão.tia gizélia

    ResponderExcluir