Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Momento perfeito

Todos os dias quando chego do trabalho, e após o "jantar" do Felipe, é o meu momento com ele, é a hora que ficamos juntinhos, sem pressa, sem movimento de gente em casa. Tem dias que este momento é "especialmente especial", assim mesmo, bem reduntante...Hoje foi um desses dias. É muito difícil ficar sozinha com o Felipe. Nada contra todos os que cuidam dele, muito pelo contrário, não tem como ser diferente, mas é que às vezes realmente é difícil ter um momentinho sozinha com ele. Hoje peguei ele no colo na poltrona e ficamos "conversando" por muito tempo, curtindo o entardecer lá fora. A tia Janete estava lá pra dentro fazendo as coisas dela, lanchando, sei lá. E foi ficando noite, o quarto escurecendo, só a luz do entardecer, cigarra gritando naquele calorão lá de fora, e nós dois agarradinhos, num fresquinho maravilhoso do ar condicionado (fundamental nesses últimos dias !) numa sintonia tão perfeita. Eu canto sempre pra ele a música que cantava pra ele na gravidez: “Se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava, eu mandava ladrilhar....” E na minha loucura, eu sempre acho que ele reage quando eu canto. Me deixem achar, por favor ! Eu simplesmente fiquei o tempo todo olhando para ele. Como é possível amar tanto assim ??? Meu coração às vezes parece que vai explodir de tanto amor ! Não consigo parar de olhar e admirar cada pedacinho dele. Ele é todo perfeitinho, que filho lindo que nós fizemos, eu não me canso de pensar! Quanta inocência, e quanta paz, dentro de tanto sofrimento. Não sei se algum dia alguém conseguirá entender como eu sinto paz ao lado do Felipe. Talvez seja porque ele esteja em paz, tranqüilo, sereno. Não sei, mas a sensação que eu tenho é que meu anjinho dorme um sono tranquilo, que sua alma está em paz. E que ele estava curtinho aquele momento tanto quanto eu...

3 comentários:

  1. E com certeza ele sente !! pras pessoas que convivem mais com ele é bem mais fácil perceber, digo isso porque quase todas as vezes em que vou lá eu percebo uma reação dele, de reconhecimento, ele devolve todo o calor humano que mandamos a ele. Cada dia que passa percebo mais isso, e me sinto mais feliz por ser reconhecida por ele! Tenho certeza que ele sente sim , ou seria mto coincidencia ele me dar um ponta pé quando eu dou um beijinho no dedinho dele ? hahaha
    ele tem suas formas de dizer , e se nós tivermos tato o suficiente vamos conseguir tudo o que ele tem a ensinar. É só perceber, os pequenos sinais, que pra nós que o amamos são muito muito grandes !!

    ResponderExcluir
  2. Leo meu camarada !
    Escrevi pra ti em seu email
    Grd Abs
    Viça

    ResponderExcluir
  3. Ele entende, ele sente, ele, certamente, gosta desses momentos especialmente especiais tanto quanto você!
    Acredite, não por que quer acreditar, mas porque é real!
    Ele pode não falar, pode não fixar o olhar, mas é só você, com seu doce olhar de mãe, olhar para ele e perceber que esses momentos são cobertos de tranquilidade!
    E que venham muitos momentos de "sozinhês de eu e ele" para você, onde você encontre nele a paz que precisa! Da mesma forma que você é a força dele, ele é a tua!
    E, a partir de hoje, sempre que eu cantar essa música para a minha pequena, vou lembrar que cada momento é precioso e que uma mãe especialmente especial, que eu nem mesmo conheço ao vivo, me ensinou isso! Obrigada Valéria!

    ResponderExcluir