Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



terça-feira, 20 de abril de 2010

Noite difícil

Hoje foi uma noite difícil, o Felipe está com uma febre persistente apesar das compressas e medicações. Fazia muito tempo que isso não acontecia, e estamos bem apreensivos. O curioso é que até agora os outros sintomas que conhecemos e caracterizam uma infecção (virose, gripe ou pneumonia) ainda não apareceram. Sua secreção não está espessa, a coloração é clara, a quantidade está dentro da normalidade das últimas semanas, a saturação de oxigênio está normal e ele não tem demonstrado desconforto. Agora acabou de tomar um banho fresquinho pra baixar a temperatura do corpo. O seu anjo da guarda, o tio João, virá vê-lo e já estamos preparados para a bateria de exames de hábito: sangue (PCR e outros), radiografia, swab (exame da secreção), etc.
Espero que não seja nada sério, apenas uma "ressaquinha" após o título do nosso Botafogo.

3 comentários:

  1. Melhoras para o Felipe.
    um beijo,
    Juliana.

    ResponderExcluir
  2. Conheci a história do Felipe através de um comentário no globo online. Tenho acompanhado e rezado muito pela família. É um amor muito bonito de se ver e de saber que existe.

    ResponderExcluir
  3. Como só pude ler agora espero que ele já tenha melhorado.Espero que seja daquelas " coisas de criança" que só servem para deixar a gente de cabelo em pé.Muitos bjs, tia Gizélia
    Mande notícias.

    ResponderExcluir