Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



segunda-feira, 17 de maio de 2010

Felipe está melhorando

18 dias após a queimadura que o Felipe sofreu, finalmente as feridas parecem estar bem melhores. A pele queimada, após as bolhas estourarem, saiu praticamente toda, ficou tudo em "carne viva", mas agora a pele de baixo começa a aparentar mais normal, mais clarinha, e ele está bem mais tranquilinho. Estou conseguindo até sentá-lo um pouquinho na cama com bastante cuidado, e já peguei o jeito também de pegá-lo no colo. Espaçamos o analgésico para somente de 8 em 8 horas, antes estava de 4 em 4 horas. Com este tempo que passou, e vendo a proporção enorme da queimadura, entendemos um pouco melhor o que realmente aconteceu. Foi muito sério, as queimaduras não foram somente de água muito quente, mas também do metal do chuveirinho, que jamais deveria ter sido solto e apoiado no Felipe. Ficaram mágoas, lágrimas, muita chateação, mas infelizmente o que faz o filho da gente sofrer, e isso qualquer mãe vai concordar comigo, não dá para a gente esquecer...Por mais que a gente saiba que ninguém teve a intenção de machucá-lo, dói demais na gente, e principalmente nele.

Hoje estamos somente com 2 técnicas de enfermagem que estão se desdobrando para cuidar do Felipe com o maior cuidado do mundo. Tia Carmem e tia Janete estão sendo maravilhosas em não nos deixar desamparados num momento como este. A princípio se despuseram a ficar revezando plantões de 36 horas somente as duas, evitando que entre gente nova na escala para cuidar dele justamente num momento crítico e delicado como este.

Obrigada a todos que nos deram, mais uma vez, muita força ! Agora espero que falte pouco para ficar tudo bem.

2 comentários:

  1. Muito bom saber disso.Felipão é forte e muito bem cuidado.Essas duas tias devem ser anjos da guarda e tem a noção exata de como cuidar de um guerreiro.Um bj grandão para todos e o especial de sempre pro Felipe.Tia Gizélia

    ResponderExcluir
  2. Oi Valéria,
    Que bom que o Felipe está melhorando!
    Com certeza, está sendo bem cuidado pela Carmem, que aliás, estava acostumada a fazer esses plantões todos quando estava com a minha avó... Sempre que tínhamos problemas na escala, recorríamos a ela, que cobria os plantões até que tudo se acertasse. E quando vinha alguém novo, eu pagava por fora pra ela ficar mais 12 horas passando tudo pra pessoa que chegava... O problema de escala com 2 pessoas só é que quando uma fica doente ou não pode vir... já viu, né?... Ficamos à mercê daquelas profissionais de quinta que as cooperativas escalam de última hora...
    Tomara que tudo se acerte logo!
    um beijo,
    Juliana.

    ResponderExcluir