Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Saudade

Eu estou viajando, vou ficar 2 semanas fora. Coisa de doido, nada bom. Alguém consegue entender a saudade que eu sinto do Felipe ? Ele não sabe quem eu sou, não me vê, não sei se me escuta, não fala comigo ... Quando eu voltar para casa ele não vem correndo me abraçar. Eu é que vou correndo para agarrá-lo e sentir o maior conforto no coração ao sentir o calorzinho do corpo dele, seu cheiro delicioso, e vibrar se ele me der um suspiro de volta. Nossa, o suspiro dele é tudo na minha vida ! Para os médicos, é um mero reflexo. Mas para mim, é uma resposta, um reconhecimento dele de uma sensação gostosa. É o equivalente aos filhos que vêm correndo abraçar a mãe, com saudade e alívio por ela estar de volta. É...a gente vai criando um mundo à parte, meio maluco mesmo, mas que é a nossa vida, é a nossa realidade. E essas "historinhas" que vamos criando nas nossas cabeças, no fundo são uma necessidade, um conforto, um carinho nos nossos próprios corações. Eu preciso acreditar em alguma coisa, que o Felipe não é só um corpinho deitado, mas ali tem sim uma alma que não entende muita coisa mas que sente algumas coisas. Por isso eu tenho essa fixação por trazer conforto para ele. Se ele é só sensação, que ele só tenha as boas. Ele tem um quartinho gostoso, com um linda vista para a Lagoa, arejado, música tocando o dia inteiro, vários bichinhos e almofadinhas para ajudar a mantê-lo bem posicionado, colchão melhor do mundo, travesseiro idem, roupas confortáveis, e os melhores colos de todos os tempos. Não somente o meu (modéstia à parte...), mas das avós, do irmão, das tias todas que cuidam dele. Ele já sofreu tanto quando nasceu, eu vivo imaginando o desespero dele ao nascer, todo prontinho e de repente vem um terremoto na cabecinha dele e acaba com tudo. Então não quero cogitar que ele sofra mais nada. Hoje em dia, o Leo e eu vetamos qualquer procedimento que traga dor, desconforto, e que não tenha grandes benefícios para ele. Deixa ele quietinho com as coisinhas dele !
Eu não tô boa não, e eu prometi que o blog não seria triste, mas eu tô muito triste. Acho que não estou passando bem pelo teste da ausência da medicação... Tô com muita saudade do Felipe, do Leo, de casa, e do meu pai...onde quer que ele esteja, estou com MUITA saudade dele.

8 comentários:

  1. Não deve ser fácil. Pelo contrário, deve ser muuuuito difícil! Mas tenha certeza de que nós estamos fazendo de tudo para que a falta que ele sente de você seja minimizada! Ontem, ele suspirou pouco e reclamou muito do meu toque. Ele está sentindo falta do seu! Mas dentro do coraçãozinho dele, ele sabe que é por uma boa causa. E que quando você voltar serão muitas horas do colo que ele mais ama!
    Ah! E o dia que aquele suspiro for uma atividade reflexa eu mudo de nome, pode ser Lucrécia e de profissão, advogada. Que desepero!
    Saudades,
    Nanda

    ResponderExcluir
  2. OI Vavá
    Não consegui falar com você antes da viajem, mas quando nossa mãe me falou que você ia ficar esse tempo todo fora fiquei surpreso mesmo. Pensei que seria no máximo uns cinco dias. Vai correr tudo bem, o Felipe está (e você sabe disso) com as melhores cuidadoras que poderia estar e com o melhor pai que Deus poderia lhe dar. Cuide-se e vá devagar com as coisas, digo com todas as tentativas de mudança. Espero que consiga aproveitar um pouco. Nosso pai está bem não tenha dúvida disso, e sua libertação espiritual depende também da nossa capacidade de se trabalhar interiormente e buscarmos coisas boas para a gente também. Perenidade só no amor. E a transitoriedade da condição material em que nos encontramos é a prova maior disso. Um dia o corpo cansa, a matéria se vai e o amor é a força que nos conduz na leveza etérea. A única garantia de vida é o amor infinito que nos torna eternos, pois , mais leves para nos desprendermos da condição densa que a matéria nos impõe. Não é fácil, mas tem que ser assim, pensar o amor, vibrar o amor, e sentir amor. Acho que as dificuldades fazem com que a gente aprenda mesmo a contragosto a compreender esta dimensão da vida. Beijo do seu irmão
    Zêro

    ResponderExcluir
  3. Oi tia ,
    eu percebi pela sua voz no telefone que vc tava mal mesmo , nem perguntei , ja sabia a resposta , é o tipo de coisa que não há o que a gente diga ou faça que vai fazer vc melhorar . Tem certas coisas , que só a presença da pessoa que a gente sente falta resolve . Hj eu tava triste , lembrando do meu avô, e pensei , para isso , somente abraça-lo melhoraria , nada do que digam vai mudar. Aí vi na estante o livro do pequeno principe que lembro de ter lido bem pequena e reli , mas agora com outra cabeça .. e ai , parece que foi um consolo, mas logo após o livro, lembrei de vc ! E nessas hrs é ruim não ter um telefone seu pra poder ligar , sei la , so pra dizer que lembrei, coisas simples assim, que por mais que a gente não mude as coisas erradas , sentimos vc poderá estar confiante que estarei do seu lado . Isso pra mim é um alívio , quero sempre que quem eu ame , veja que eu estou do lado delas. Saiba que estarei sempre aqui, só saiba disso e já é suficiente . Beijos , Íris !!

    ResponderExcluir
  4. Valéria querida,
    Nosso coração é como uma bolsa pregueada que através da vida faz com que se abram as pregas e aí colocamos todos os nossos queridos,até os que já se foram.Não sei para onde você foi nem onde está mas sei que leva todos em seu coração e você está no meu.É o mistério do amor.Desejo que estas duas semanas "voem " para que bem depressa você experimente a alegria do reencontro com os seus mais queridos ( queria ,especialmente hoje,colocá-la em meu colo ).Um beijo muito carinhoso da
    Angela.

    ResponderExcluir
  5. "Ele não sabe quem eu sou, não me vê, não sei se me escuta, não fala comigo ... Quando eu voltar para casa ele não vem correndo me abraçar"

    Discordo... médicos se baseiam no que observam, não sabem, nem têm como saber os pequenos mistérios da caixa preta que é o cérebro!
    Tenho para mim que crianças como o Felipe reconhecem a mãe sim, afinal, passaram 9 meses dentro de você, são parte do teu corpo. Reflexo? Instinto? SIM, até aceito isso, mas defendo que ""cheiro de mãe é instintivo para o bebê... ele certamente, em algum nível, reage ao teu cheiro, ao toque da sua pele contra a dele, ao tom da tua voz, ao ritmo do teu coração.
    Ele pode estar num sono profundo e contínuo, mas ele reconhece a mãe sim! Reconhecer mãe é uma coisa tão primitiva que basta existir um sopro de ar nos pulmões e um batimento cardíaco no coração, que há reconhecimento.Você é porto seguro!

    ResponderExcluir
  6. Valeria querida:-
    -sem palavras para aliviar sua dor.Vc não me conhece sou colega do saudoso Fabiano,quero que saiba que vc e Felipe,há muito,fazem parte das m
    inhas orações.Tenha fé.
    Sua tia, Enyr Calasans Maia

    ResponderExcluir
  7. Olá!!!
    Sua estória de vida me comoveu.
    Acabei ficando com uma vontade tããão grande de poder dar um abraço carinhoso em vcs. Saber que nesse mundo existem pessoas guerreiras, pessoas tão boas, com muito amor pra dar. Noooossa... vc não me conhece e eu acabo de conhecer um pouquinho de vcs. No mundo tudo com amor se consegue. Não desanimes nunca de lutar por mais que seje cansativo essa sua caminhada, tenho certeza que Deus está olhando por vcs, que Deus está dando a maiooor força pra vcs. Que com esse amor todo da família com o filho com certeza ele sente. Médico nenhum pode dizer sobre sentimentos que passam dentro do coração de cada pessoa. Tenho certeza que seu filho lhe ama tanto como te reconhece como a mãe mais maravilhosa do mundo para ele. E que com certeza todos aqueles que o conhece ele tbm conhece mesmo não podendo falar, ver, mas sentir com certeza ele sente, sente as presenças que os faz bem. Felicidades sempre, que Deus ilumine e abençõe a cada segundo da vida de vcs e sintam um forte abraço carinho de quem lhe admirou muiiiito.

    ResponderExcluir
  8. Vivian Neves Santos deFreitas19 de outubro de 2011 21:43

    me emocionei com vc,com sua coragen e com todo seu amor e dedicação com o seu filhinho.tenha certeza ele te ouve,e ele te sente e sente muito o seu amor por ele,acredite nisso.Qeu o pai celestial abençoe voces sempre,é o desejo e oro.Vivian e familia.

    ResponderExcluir