Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Cartinha da Tia Nanda (fisio) para o Homem Aranha

Tia Nanda é uma alma iluminada. Como ela mesmo diz aí embaixo, acho que nós nos conhecemos de "outro lugar". Ela tinha me dito que tinha começado a escrever uma cartinha para o Felipe durante suas férias, em setembro, logo após seu casamento, em Juiz de Fora. Eu pedi que ela me mandasse. O resultado está aí, após ela ter terminado a carta. Que forma linda que ela conseguiu entrar no espírito da nossa família, fazer parte dela, compreendendo nossos corações e a nossa vida.



Homem Aranha,

Decidi escrever essa cartinha durante as minhas férias. Sentindo muito a sua falta e muito feliz pelo momento que vivo, estou sentada na minha cama do sítio em Juiz de Fora e pensando nos acontecimentos e nas coisas que realmente são importantes na minha vida. Uma delas é você!

Desde o nosso primeiro dia juntos sinto uma vontade incontrolável de te ver todos os dias. A primeira vez que você deitou no meu colo, senti um abraço tão apertado que meu coração sorria de tanta alegria em rever-te. Demorou, mas nos reencontramos. E foi lindo!

Quando sua mamãe abriu a porta para que eu entrasse na sua casa levei o maior susto! Também havia muito tempo que não a via. E depois fui logo sendo apresentada para seu pai. Acho que também já o conhecia de algum lugar, não me lembro onde. E quando vi você no berço! Ai meu Deus!!! Era uma vontade louca de te abraçar, beijar e rir muito como naqueles tempos em que corríamos pela grama do jardim e ríamos sem parar!

No início, nos víamos quase todos os dias. Às vezes aos finais de semana. A gente brincava muito naquela cama que ficava bem pertinho da janela e muitas vezes no chão. Naquele tapetinho todo colorido, lembra? Você gostava mesmo era do chão! Eu te rolava pra um lado e pro outro. Fazia gato e sapato! Rsrsrsrs

Com o tempo você foi crescendo e consequentemente ficando um pouquinho mais pesado e nossas idas ao chão foram ficando mais raras porque levantar com você no colo estava ficando complicado! Mas, outro dia desses, um daqueles, em que eu estava muito mal, muito triste e confusa, brincamos no chão de novo. Era um sábado ou domingo, não me lembro bem. E fiquei quase que a tarde inteira na sua casa, brincando com você, conversando e me distraindo com a mamãe, lembra?

Fiquei dando várias dicas de noiva pra ela! Ela não vai ficar uma noiva linda, Homem Aranha?

Por muitas vezes, Homem Aranha, pensei em desistir. E, na maioria das vezes, você era meu próximo encontro. E o que acontecia???? Você me convencia de que eu não devia fazer isso.

Bom, o tempo foi passando e eu fui entendendo todos os seus movimentos, cada pedido, cada olhar, cada sorriso, cada lágrima. Há quem diga que você não fala, nem ouve. Corajosos. Seu coração fala e ouve mais que qualquer boca ou ouvido. Você até me pediu um tempo para pensar quando te pedi em namoro, lembra? Eu é que não soube esperar...

Lembra aquele dia que passamos uma hora só conversando e cantando? Você estava um pouquinho triste por causa daquilo que estava acontecendo, não é (nosso segredo)? E nós conversamos muito. Eu chorei, você chorou e no final, chegamos à conclusão que aquilo também passaria. E não passou?

E naqueles dias que dançamos a Dança do Pato? Lá vem o pato, pata aqui, pata acolá! Hahahahahahahahaha! Você ama dançar a Dança do Pato. Quando está bem humorado! Quando não... Sai de baixo! Tinha uma época que eu colocava a Dança do Pato todos os dias à tarde e seu tronco ficou com uma mobilidade INCRÍVEL! O meu também! Rsrsrs...

Depois da Dança do Pato, tinha a música da foca. Coitadinha da foca né... A gente ficava rindo da foca brasileira! E depois da música da foca, eu não me lembro qual era porque a gente só ria, ria, ria, e não conseguia prestar atenção em nenhuma outra música.

Sabe, Homem Aranha, por muitos momentos de angústia e tristeza, você foi a pessoa mais importante na minha vida. Eu me revoltava com aquelas situações (que também já conversamos, mais um segredo) e quando eu colocava você no meu colo, você soprava aquela nuvem escura que ficava em cima de mim e seus olhos verdes ficavam como o sol me iluminando. Como é bom saber que você sempre vai soprar a nuvem e iluminar meu caminho com seus lindos e brilhantes olhos verdes!

Ahhh!!! Lembra daquela tia que morria de ciúmes de nós dois???? Hahahahahaha! Ela não sabia que já éramos amigos e que só queríamos matar a saudade! Era engraçado! No final, acho que ela entendeu! Rsrsrsrsrs

Homem Aranha, eu tenho um amor tão grande pela mamãe e pelo papai. Você sabe né? Quando voltei a frequentar a sua casa, algumas pessoas não entendiam porque eu ficava sempre do lado deles. Defendia e entendia todas as atitudes deles com unhas e dentes. Às vezes me estressava um pouco porque seu papai, muito metidinho, queria porque queria entender mais do BIPAP que eu. E não é que ele entende, Homem Aranha! O cara é fera! Descobre tudo!

E a mamãe??? Super, mega, ultra protetora, não me deixava mexer em você quando você estava chorando muito. Ainda bem né! Você não queria mesmo! No meu primeiro dia ela ficou do meu lado, pra saber se eu iria tirar a sua melequinha sem te machucar. Foi muito legal! Saí da sua casa e, rindo à toa, pensei: “não era nada do que tinham me falado. A Valéria é um doce!”

Eles são tão especiais, não é? Fazem tudo por você!

Quando a mamãe resolveu comprar aquela “cama do espaço”, todo mundo reclamou. A cama é alta, é isso, é aquilo. E você??? Se esparramou naquele “camão” delicioso e não estava nem aí. Queria era curtir! E aquele carrinho que veio dos Estados Unidos? Muito Hight Tech!

Ai, Homem Aranha, seus brinquedos também são o máximo né? Suas almofadinhas da Fom, seu bichinhos e amigos. E o Santo Anjo? É o que eu mais gosto, depois do Hypólito. O Hypólito faz tudo: te abraça, apóia seu bracinho e a traquéia do BIPAP, te faz carinho! Ele é demais!

Hoje, 11/11/10 decidi continuar essa cartinha pra você. Chorando muito, com uma dor enorme no peito e uma saudade já sem tamanho, não tenho tantas palavras. Quero te parabenizar pelo homenzinho vitorioso que sempre foi. Eu nunca conheci uma pessoa tão guerreira sabia Homem Aranha?!? Passar por tudo isso e ainda conseguir sorrir? Quem conseguiria? Você conseguiu fazer tudo direitinho. Você foi forte, muito forte. Escalou os prédios mais altos! Salvou muitas “Mary Janes” de momentos difíceis, soprou muitas nuvens e iluminou muitas vidas com seus lindos olhos verdes. Você conseguiu renovar um ciclo na sua e nas nossas vidas da maneira mais digna e engrandecedora possível. Você me aproximou ainda mais do papai e da mamãe. Eles podem até não querer, mas eu não largo deles nunca mais! Acho que já te disse isso: eu gosto muito deles.

Ainda bem Homem Aranha que a vida não tem fim! O que termina são os nossos sofrimentos e angústias. E estamos prontos para a próxima etapa!

Tem alguém muito orgulhoso de você, Homem Aranha! Muito mesmo!

Agora, eu vou morrer de inveja de você. Sabe por quê? Porque você vai correr e brincar naquela grama verdinha junto com o vovô. Vai morrer de rir das nossas trapalhadas e tropeços! Das milhões de vezes que precisei mexer naquele “bendito” BIPAP, ler aquele manual todinho em inglês... Você ficava rindo de mim né seu danadinho! rsrsrsrs

Ah! Homem Aranha! Você consegue imaginar como vai ser quando nos reencontramos?

Vamos brincar muito na mesma grama verdinha, como nos velhos tempo! Vou morder seu pé de pão, vou te cheirar muito e vamos dançar a Dança do Pato por muitas vezes! E vamos rir, rir e rir e viver de rir!!

Um beijo bem gostoso na sua bochecha “gordinha” e esparramada com muita saudade da sua Tia Nanda.

7 comentários:

  1. Fernanda, vc me faz chorar muito quando fala assim de meu amorzinho. Que sentimentos lindos vc tem, quanto amor no seu trabalho com meu netinho. Amor com amor se paga e é assim que quero retribuir o seu. Será sempre muito querida por nós e muito bem-vinda em nossa família.
    Um abraço muito carinhoso de quem a quer bem e a respeita muito.

    ResponderExcluir
  2. Impossível não desabar de emoção, com tanto sentimento nessa mensagem. Esse danadinho transformou a vida de todos à sua volta e continua transformando, porque lhe dá com a perda física é um aprendizado constante. Abraço apertado e carinhoso. Minele

    ResponderExcluir
  3. Valéria,
    Olha só quanto amor que o Felipe espalhou em sua existência...
    beijos,
    Juliana.

    ResponderExcluir
  4. Eta garotinho fantástico!Muito linda essa carta da tia Nanda.Com certeza todos riremos muito com o Felipão quando nos encontrarmos.Bjs a todos.O do Felipão mando diretamente.Tia Gi

    ResponderExcluir
  5. Que Deus dê o aconchego, carinho e amor a este anjinho que está ao lado Dele olhando por todos nós.Tony (ProCare)

    ResponderExcluir