Meu nome é Valéria Pellon. Minha vida com meu marido Leonardo foi atropelada por uma grande injustiça: em 11 de janeiro de 2007, Felipe, nosso anjinho tão esperado, nasceu em um dos melhores hospitais do Rio de Janeiro e, em função de negligência médica, sofreu lesões cerebrais irreversíveis durante o parto, em decorrência de asfixia. Após 5 meses internado na UTI veio pra casa com "home-care", como viveu até 11 de novembro de 2010, em estado vegetativo. Este blog é uma forma de "gritar" o nosso sofrimento e mostrar como o amor salva nossas vidas e nos faz sobreviver, a cada dia.



sábado, 20 de novembro de 2010

Missa






Ontem foi a missa do Felipe. Este ritual é muito sofrido. A gente revive todo aquele turbilhão de emoções, dor, cumprimentos, tudo de novo...mas do fundo do meu coração, para mim acabou sendo um pouco diferente. Eu saí de casa com medo de enfrentar aquilo tudo de novo, eu estava muito nervosa, mas no final das contas apesar de sofrido, o contato com tantas manifestações de carinho, com tantas mensagens bonitas, com tantos abraços, me ajudou a ter um pouco mais de conforto. É tanta certeza que me passam que o Felipe está bem, que eu não tenho mais a menor dúvida disso, e às vezes meu coração até esboça um sorriso quando penso nele, todo lindo fazendo bagunça "nas nuvens"... dá uma sensação gostosa, apesar de estranha, pois ainda não consigo entender ele estar tão feliz longe da mamãe e do papai...mas sei que isso é puro egoísmo meu...sei mesmo...
Teve a família que mora em Aparecida (SP) que veio e voltou de viagem no mesmo dia, só para estar junto da gente neste momento. Recebi a carta mais linda da D.Adelaide, vovó da Maria Clara (que fez o desenho do Felipe com o arco-iris), que li com calma em casa, com palavras tão lindas e perfeitas, que são um verdadeiro carinho no coração. Foram tantos, mas tantos abraços de coração apertado. É a mesma sensação das mensagens do blog, que são tão importantes pra mim. Sem contar os amigos de sempre, sempre, sempre, que não nos "largam de mão" um segundo sequer, verdadeiros anjos guardiões.
A missa foi uma verdadeira homenagem ao Felipe. O coral da Igreja do Perpétuo Socorro, do Grajaú, veio a nosso pedido, e cantou lindamente diretamente para a alma do Felipe e para os nossos corações.
E teve as doces palavras do Padre José Ricardo, que em tão pouco tempo entendeu nossa história e o significado do Felipe em nossas vidas e nas vidas de tantas pessoas.
Agora estamos "quietinhos", Leo e eu. O silêncio aqui em casa está respeitoso, mais calmo, mais sereno. Um silêncio agora necessário para nós dois, que passamos os últimos dias no limite do limite, precisando nos segurar para estarmos ao lado um do outro. No dia que Felipe se foi, presenciamos e participamos de praticamente tudo, e quando eu ameaçava me descontrolar, o Leo me falava firme, olhando dentro dos meus olhos: eu preciso de você ! E isso me fazia "voltar", por ele, não podia deixá-lo segurando aquela barra toda sozinho. Nosso silêncio agora é de descanso, de saudade, de meditação... Estou feito louca arrumando a casa, lavando louça (nunca lavo !) jogando um monte de coisa fora, separando coisas que não preciso mais...ocupando o dia longo, procurando ocupar a cabeça simplesmente com o sabão e a esponja que lavam a louça...Às vezes o telefone toca. Hoje tia Carmem (uma das técnicas de enfermagem, que mora em nossos corações) nos ligou para saber da gente, pra dizer que nos ama...que saudade sinto da presença dela, porque representava, junto com as outras tias, a presença do Felipe, todo arrumadinho, todo bonitinho e bem cuidado...

Mas nessa arrumaçao toda, eu não mexi nas coisas dele. Entro no quarto, deito na cama dele, choro, durmo, mas não arrumei nada além do que as "tias" já tinham arrumado para nos poupar, quando estávamos no velório. Em algum momento sei que preciso "chegar" lá. Mas talvez por medo de enfrentar, eu fique arrumando o resto da casa toda, para me ocupar e evitar - ou me preparar - para o momento de mexer nas coisinhas dele, nas roupinhas dele. Acabei de entender isso agora, escrevendo...(sinceramente, nem sei o que vou fazer sem esse blog...agora não sei se terá sentido continuar com ele...será ?).

Enfim...enquanto estou aqui (no blog), não posso deixar de dizer que o que hoje me faz sofrer e chorar de dor - e não de saudade - é ainda relembrar toda a história, tudo o que o Felipe passou ao nascer, sendo o bebê mais perfeito do mundo que foi privado de uma vida por causa de uma negligência médica. Nunca vou esquecer tudo o que ele e a gente passou, quando achei que iria morrer de tanta dor e sofrimento. E esse sofrimento durou quase 4 anos, com a gente aprendendo a lidar com uma situação de impotência permanente. Ainda preciso que se faça justiça porque isso não pode acontecer com outras pessoas, e também não pode, porque não pode, ficar impune. O Felipe se foi, e o processo contra a médica, que já corre há 3 anos, nem sequer tem um perito médico aceito pelo juiz. Cada movimento do processo demora quase 1 ano. Isso é revoltante. Isso quer dizer que estamos praticamente no mesmo ponto onde começamos...e Felipe nem está mais aqui para se fazer a perícia...agora só é possível ser feita com os prontuários médicos.

Enquanto lutamos para alguma justiça ser feita, quando a dor bate forte, procuro pensar nas coisas boas e nas pessoas maravilhosas que Felipe nos trouxe. Difícil dormir, mas durmo com minha consciência tranquila, com paz interior, o que imagino - e espero - que não aconteça com esta chamada "médica" e sua equipe. No lugar deles, eu nunca mais teria paz. Mas as pessoas são diferentes né ? Talvez nem lembrem mais quem é Felipe...E assim os dias seguem, feito uma gangorra, com altos e baixos...

11 comentários:

  1. Boa Noite, Valéria e Leo

    A cada palavra que leio, Valéria, mais me emociono e percebo como é bom saber que no mundo existem pessoas fortes e boas como vocês.

    Não se calem, nem esmoreçam. Sigam fortes, e, ao mesmo tempo, descansem. Fiquem tranquilos. Sei que o caminho tem sido difícil, mas há de haver justiça e vitória.

    Mais uma vez, deixamos aqui nosso abraço forte e bem apertado, de amor e de conforto, de esperança e fé na reconstrução. Na fé de que os dias serão, novamente, dias bons, de carinho, confiança, de boas lembranças, de alegrias.

    Todo amor do mundo,

    Laura, Jorge e Samuel

    ResponderExcluir
  2. Valeria, vc nao pediu opiniao sobre a continuidade do blog, mas aqui de fora a proposta "Este blog é uma forma de(...)mostrar como o amor salva nossas vidas" parece que vale ainda mais agora.

    E ao tentar organizar suas ideias e tornar seus sentimentos compreensiveis para os outros, a gente acaba por compreende-los melhor tambem, quase como uma analise sem divã.

    Seja como for, espero que vcs fiquem bem. Beijos cheios de carinho.

    ResponderExcluir
  3. Vc já faz parte do nosso cotidiano com seu blog, não deixe de existir! A cada dia sempre surgirá uma cosinha nova p nos contar: seja uma lembrança gostosa do Felipe ou apenas 1 dia feliz na vida de vcs!
    Estou aqui torcendo por vcs, e vamos crer que a justiça tarda mas não falha.
    Fiquem c Deus

    ResponderExcluir
  4. Valeria,dê tempo para a vida ir entrando nos eixos.Entre no quarto do guerreiro e fique lá,chore mesmo,desabafe,diga que está com saudade,converse com ele,conte o que está passando mas sem desespero,tudo isso faz parte da progressão, com certeza, quando vc estiver mais firme,mais serena vc irá começar a mexer nas"coisinhas"do Felipão.Não há pressa.Por favor não acabe com o blog,ele faz parte das nossas vidas ( haja egoismo!!!).
    A justiça dos homens é muito lenta mas a de Deus é certeira.Fique com Deus e um bj bem grandão para vcs.Tia Gi

    ResponderExcluir
  5. Quando eu entrava no blog era pra saber do Felipe e ler esse amor gigante de vocês (e todos) por ele. Agora eu entro para sentir esse conforto e força que mesmo num momento tão difícil, você nos passa, Valéria. Que guerreiros vocês são. Um exemplo de vida pra qualquer um de nós. Esse blog não pode deixar de existir.

    É muito triste ver como anda a 'justiça' no nosso país. Acredito que você está certa em querer resposta pra esse absurdo, mas fique tranquila, Valéira, pois como disse a Tia Gi aí em cima, a justiça de Deus é certeira.

    Bjs enormes. Eu e Sofia desejamos muita força pra vocês.

    ResponderExcluir
  6. Só posso dizer que sinto muito...
    Há dias não entrava no seu blog, hoje resolvi te visitar... impossível foi segurar as lágrimas.
    Meus sentimentos

    ResponderExcluir
  7. Boa Tarde, Valéria e Leo!
    Quanto tempo se passou, quanta coisa mudou........e olha onde vim parar, em Cabo Frio.Sempre procurava saber notícias do Felipe,através da Fernanda, e confesso que por várias vezes estive com telefone na mão para ligar,mas acabava desistindo, por medo de estar sendo chata. Mas pode estar certa que me alegrei quando tive notícias boas e me entristeci com as não tão boas ou ruim, como foi a que recebi nesta segunda..........e foi impossível não passar pela minha cabeça tudo que vivi na sua casa, o meu crescimento como ser humano, e, me veio a imensa necessidade de agradecer muito a vcs o privilégio de ter me permitido conviver com aquele anjinho e com vcs. Um dia destes estava sentada ouvindo uma música e "conversando" com o meu bebê que está por vir e no momento me veio a lembrança de meus momentos com o Felipe e as musiquinhas de criança (o que é que tem na sopa do neném.....).
    Bem, desejo a vcs muita força e união e quanto ao nosso anjinho, ele com certeza está num lugar lindo e muito melhor..........
    Um Abraço da tia Camila (fisio).

    ResponderExcluir
  8. Somente o tempo suaviza as coisas, faz com que tudo de ruim se dilua como que se lavasse uma aquarela, que vai ganhando cores cada vez mais palidas, suaves, distantes... ah, mas porque o tal tempo nao vem em potinhos?

    ResponderExcluir
  9. Sempre que tenho tempo,dou uma passadinha para dar um oi,mais depois de ler,meu coração fica apertado e eu saio sem nada dizer...Tantas situações passei qdo aí estive,e agora acho que no fim das contas,todo mundo estava brigando por seus direitos...gostaria do perdão de vocês.Quando eu chego em casa e vejo na minha bancada as fotos dele comigo,os pés dele pintadinhos naquela folha,ah que saudade dele,daquele cheirinho "granado"dele...poxa,aprendí tanto com ele...Foi o beb~e que eu não tive(e nunca eria capacidade de ter...)Lembra que uma vez,no seu aniversário, eu disse que voçê era mãe de um anjo?pois é...(no word)O barquinho continua indo...bjs Dagmar

    ResponderExcluir
  10. Olá minha querida,

    Só quem perde um pessoa tão querida, pode imaginar um pouquinho o quão vazio nos tornamos com a perda...O bom é que esse vazio se torna um lugar fértil para germinar o conhecimento e a espirituralidade e aos pouquinhos a tristeza vai dando lugar para a saudade e a vida segue em frente com mais serenidade. Gostaria de lhe dizer que você é uma pessoa muito especial, que através da sua força, garra, dedicação e amor nos ensina, nos inspira e nos faz querer ser uma pessoa melhor. Você e nosso anjinho,sempre estiveram em minhas orações e continuarão por toda eternidade, pois a vida continua e Felipe sabe disso, pois agora ele conhece a liberdade. Estarei sempre com você, mesmo de longe, um grande beijo, Jai Gurudev! Lisi

    ResponderExcluir
  11. Valéria, parabéns pela sua coragem em expor de forma tão clara seus sentimentos.

    Trabalho em uma UTI pediátrica, e infelizmente convivo com casos parecidos com o do Felipe rotineiramente. Agradeço por me fazer "acordar" de uma certa maneira, pois o que pode parecer "simples" para nós, como uma aspiração ou a alimentação pela gastrostomia tem uma dimensão muito maior para a família...
    De qualquer maneira, por mais acostumados que possamos estar com situações onde a vida só existe pela atuação de uma série de profissionais e diversas máquinas, acho que é impossível não sofrer junto com cada família.
    O que nos conforta é saber que do trabalho de cada um de nós depende a vida e o conforto destas crianças...
    Sabemos que maus profissionais existem, mas estes são excessão. Agradeça aos que te ajudaram e perdoe os que foram irresponsáveis, pois estes serão julgados num plano maior.
    "Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra".
    William Shakespeare


    Saiba que há muitas e muitas famílias em sofrimento sememlhante ao seu, a acredito que este blog possa aliviar o sofrimento de muitas pessoas, pois compartilhar a dor parece fazer diminuir o fardo que cada um carrega...

    Novamente lhe parabenizo pelo blog e espero que continue com estes belos depoimentos.

    ResponderExcluir